Classificação

Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Artilharia

Postado por : Almir Junior 09/08/2012

Nome: Burnley Football Club
Apelido: The Clarets
Estádio: Turf Moor
Técnico: Eddie Howe
Destaque: Charlie Austin (atacante)
Presidentes: Mike Garlick e John Banaszkiewicz
Última temporada: 13º lugar

Contratações: Luke O'Neill (Mansfield Town/valor não revelado), George Porter (Leyton Orient/valor não revelado), Jason Shackell (Derby County/valor não revelado), Joseph Mills (Reading/empréstimo de 1 ano) e Sam Vokes (Wolves/£3 milhões)

Vendas/dispensas: Alex-Ray Harvey, Dominic Knowles, Dave Lynch, Ross Wilson, Clarke Carlisle e André Amougou (dispensados); Brian Easton (fim de contrato/aposentado); Zavon Hines (dispensado/Bradford) e Jay Rodriguez (Southampton/£7 milhões)

Técnico mais novo do campeonato, Howe (foto) tem a missão de levar o Burnley de volta á elite. (Foto: Getty Images)
A última temporada tinha tudo para dar errado ao Burnley. A equipe havia acabado de perder Graham Alexander, seu capitão e ídolo maior nos últimos tempos, e seus principais jogadores, o lateral-direito Tyrone Mears e o meia Chris Eagles, haviam sido vendidos para o Bolton. Além disso, a desconfiança pairava sobre a cabeça de Eddie Howe. Após 6 meses no comando de equipe, a expectativa era de como Howe iria comandar uma equipe de tradição como os Clarets por uma temporada inteira na Championship. E, ao final da temporada, o torcedor ficou satisfeito com o que viu, mas ficou um gostinho de "quero mais".

Como se era esperado, Jay Rodriguez assumiu o posto de comandante do time e fez bonito, sendo o artilheiro da equipe na Championship e o artilheiro geral da Carling Cup (onde o Burnley chegou até as quartas, quando perdeu para o Cardiff). Ao seu lado, o brilhante Charlie Austin deu as caras ao torcedor clarete e era presença certa na equipe. O meio-de-campo se solidificou sob o comando de Ross Wallace. A zaga também, com a presença do novo xerife David Edgar e de uma das principais revelações do último campeonato, o lateral Kieran Trippier. Mas, mesmo com o time arrumado, a equipe não conseguiu chegar nos playoffs, principalmente devido ao baixíssimo desempenho na reta final (ganhou só 3 dos últimos 10 jogos).

Para esse ano, a equipe chega mais uma vez desacreditada, assim como no último ano. Perdeu sua principal esperança de gols: Jay Rodriguez era cobiçado pelo Newcastle, mas acabou indo parar no Southampton por 7 milhões de libras. O presidente Barry Kilby acabou renunciando ao cargo devido á um câncer e passou o lugar á Mike Garlick e John Banaszkiewicz. Para amenizar a perda, os novos presidentes trouxeram o atacante Sam Vokes, ex-Wolves, que passou por Turf Moor na última temporada e deixou boa impressão. Além de Vokes, a diretoria trouxe o bom zagueiro Jason Shackell, do Derby, que nem bem chegou e já virou capitão do time. Para completar, Howe também terá a disposição os jovens zagueiros Joseph Mills (emprestado pelo Reading) e do ex-Mansfield Luke O'Neill, além do meia George Porter, revelação do Leyton Orient.

Se o time conseguir ser regular durante a temporada, tem plenas condições de chegar mais longe na Championship. Mesmo sem estrelas, o Burnley tem um bom conjunto titular, que pode ficar ainda melhor caso a compra do meia Brian Stock, do Doncaster, seja confirmada nesta sexta-feira (9), e ainda tem boas peças de reposição, como Danny Ings, que jogou os últimos jogos da temporada e já caiu nas graças da torcida. No ano em que os Clarets completam 130 anos, o acesso pode ser uma realidade. Pode ser. 

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2018. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis