Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Artilharia

Postado por : Edmar Assis 16/08/2012


Nome: Nottingham Forest Football Club
Apelido: The Reds
Estádio: City Ground
Presidente: Fawaz Al-Hasawi
Técnico: Sean O'Driscoll
Última temporada: 19º lugar (Championship)

Contratações: Adlene Guedioura (Wolverhampton, valor não revelado); Danny Collins (Stoke City, valor não revelado); Dan Harding (Southampton, valor não revelado); Greg Halford (Portsmouth, valor não revelado); Khaled Al Rashidi (free agent); Simon Gillet (Doncaster, free transfer); Daniel Ayala (Norwich, valor não revelado); Simon Cox (West Brom, valor não revelado); Sam Hutchinson (Chelsea, empréstimo)

Vendas/Dispensas: Garath McCleary (Reading, free transfer), Luke Chambers (Ipswich, valor não revelado); Joel Lynch (Huddersfield Town, v
alor não revelado); Chris Gunter (Reading, £2,3 milhões); Paul Anderson (Bristol City, free transfer)

A temporada 2011/2012 foi um pesadelo dos mais macabros pra fanática torcida do Nottingham Forest. O time iniciou a temporada com um dos favoritos ao acesso, fazendo contratações de peso, sob o comando se Steve McLaren, que acabara de ser campeão holandês pelo Twente. Mas nada do que foi planejado aconteceu, e logo os fãs perceberam que aquela seria uma longa e sofrida temporada.

O time não se acertou em momento nenhum com McLaren, e acumulou derrotas feias que os levaram a zona de rebaixamento. Depois de 3 meses e apenas com 8 pontos conquistados em 30 disputados, Steve McLaren pediu demissão, para comemoração geral dos fãs, que pediam um técnico de renome. De novo, ficaram querendo. Steve Cotterill veio de Portsmouth, onde fez um bom trabalho com todas as circunstâncias complicadas do time do sul. Mas os problemas, principalmente financeiros e a incapacidade de contratar, continuaram grandes.

Os Reds acumulavam derrotas, goleadas, e deixavam a torcida em desespero, temendo um retorno à 3ª divisão. No meio dessa bagunça, dois fatos complicaram ainda mais a situação: duas derrotas para o arqui-rival Derby (o double), e a trágica morte de seu dono, Nigel Doughty, em circunstâncias misteriosas.

Mas a morte de Doughty trouxe um novo ânimo aos jogadores, que fizeram de tudo para homenagear o ex-dono. E, neste momento, uma jovem promessa deu as caras: Garath McCleary vestiu a camisa e não sentiu a pressão. O jovem atacante fez vários gols fundamentais, entre eles um espetacular Hat-Trick contra o Leeds, no histórico 3-7 em pleno Elland Road. Esta vitória deu o sprint final aos Reds, que se salvaram do rebaixamento na penúltima rodada.

A temporada passou, e a nova começou, se possível ainda pior. O time foi se desmanchando aos poucos e, num determinado momento, contava apenas com UM zagueiro no elenco, já que Luke Chambers e Joel Lynch foram para Ipswich e Huddersfield, enquanto Chris Gunter recebeu uma proposta irrecusável do Reading e também fez as malas. Pra piorar, a estrela Garath McCleary, em fim de contrato, deixou o Forest rumo ao Reading, de graça, deixando uma sensação de perda gigantesca no clube.

Mas quando parecia que a temporada estava perdida, a salvação veio de longe. Da Ásia. Mais especificamente, do Kuwait. Depois de meses negociando uma venda do clube, a rica e conhecida família Al-Hasawi comprou o Nottingham Forest, dando esperanças à torcida de dias fartos e melhores. E a primeira ação dos novos donos foi demitir o técnico Steve Cotterill, para "trazer um nome de confiança". Cotterill, obviamente, não ficou nada satisfeito e deixou o clube dizendo estar "extremamente decepcionado".

Com isso, os Al-Hasawi foram atrás de um novo treinador. A primeira opção foi harry Redknapp, que acabara de deixar o Tottenham, mas o clube ouviu seu primeiro "não". Nãos que o clube também ouviu de Mick McCarthy e de Darren Feguson. Depois de semanas de especulações e incertezas, o Forest anunciou seu técnico: que deixou muitos fãs de sombrancelha em pé. Sean O'Driscoll, ex-assistente técnico do clube e  ex-técnico do Doncaster Rovers (de onde foi demitido) era o novo nome para comandar a nova fase do Nottingham Forest.

 A desconfiança inicial com as ações dos donos foi grande num primeiro momento, mas as tão aguardadas contratações surgiram. E em grande número. Com isto, Sean O’Driscoll terá muito trabalho para fazer acontecer o desejo dos Al-Hawasi, que enfatizaram a frase: “Queremos o Forest na Premier League”. Como já dito, a equipe perdeu cinco jogadores importantes; o capitão Luke Chambers (Ipswich), os defensores Lynch (Huddersfield) e Gunter (Reading), o meia Paul Anderson (Bristol City) e o artilheiro Garath McCleary (Reading).

Mas as contratações são pontuais e consideradas por muitos como boas para um time em formação. Guedioura teve uma boa passagem emprestado e acabou sendo contratado em definitivo. Para a problemática zaga, vários nomes: Danny Collins, ex-Stoke, Dan Harding, que vem de Southampton, Greg Halford, de boa temporada no Portsmouth, além do jovem Daniel Ayala, ex-Liverpool e que vem de Norwich e, mais recentemente, chegou o jovem e  promissor zagueiro Sam Hutchinson por empréstimo do Chelsea. A esperança é de que esses nomes evitem que o time tome tantos gols quanto tomou na última temporada. Para o meio chega Simon Gillet, do Doncaster, e o único nome para o ataque, até agora, é Simon Cox, atacante irlandês que disputou a última Eurocopa e que deixa o West Brom.

Com tantas contratações, o entrosamento vai ser adquirido durante a temporada. Uma maneira arriscada, mas necessária, de começar a temporada. Pensando racionalmente, os Reds devem brigar no meio da tabela, talvez por play-offs. Mas, se o time conseguir se acertar rapidamente e tiver um bom início de temporada, a força da tradição, da camisa  e dos torcedores vão empurrar o Forest para cima, para o tão sonhado retorno à elite. Dinheiro, agora, é o que não falta. Ambição, muito menos. O que a torcida espera é que a empolgação inicial não vire, novamente um pesadelo. Macabro.

Time-base da temporada: Camp; Halford, Hutchinson, Collins, Harding; Moussi, Guedioura, Majewski, Reid; Blackstock, Cox.

*Créditos de parte do texto para Jober Gooner, dono da comunidade Premier League no Orkut   



Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2019. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis