Classificação

Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Artilharia

Postado por : Edmar Assis 05/03/2015


A bruxa está solta e não cansa de castigar os clubes da Championship nesses dois primeiros meses de 2015. Nada menos que ONZE jogadores, de vários times, foram detectados com as mais variadas lesões e estão completamente fora da temporada. Outros ainda estão em processo de recuperação e seguem sendo desfalques importantes numa fase tão importante do campeonato. Afinal, qual o motivo desse absurdo número de lesões? Até que ponto o estado ruim dos gramados de alguns estádios, tão comentados nas últimas semanas, podem influenciar a saúde física dos jogadores? Os árbitros estão sendo coniventes com violência desnecessária? Ou é apenas muita falta de sorte?

A lesão que mais trouxe à tona a possibilidade do estado dos gramados estarem influenciando na saúde dos jogadores foi também a mais sentida pelo campeonato em geral: Britt Assombalonga, melhor jogador do Nottingham Forest na temporada, e um dos melhores da Championship, lesionou gravemente o joelho numa partida contra o Wigan, no DW Stadium, que também estava com o gramado bem "judiado", e após exames ficou detectado que o atacante, autor de 15 gols na Championship até então, ficaria nada menos que DOZE meses em recuperação. Alguns especialistas afirmaram que um buraco no gramado pode ter causado a lesão. Poucos dias depois, pipocaram no Twitter imagens do péssimo estado do gramado do estádio do Blackpool, o Bloomfield Road, e o estado do gramado pode ter causado outra lesão de um jogador do Forest, a do zagueiro Jack Hobbs, que ficou um mês fora se recuperando.

O rigoroso inverno castigou o gramado de Bloomfield Road.
Outra lesão que também pode ter sido causada pelo estado do gramado, dessa vez escorregadio e duro, foi a do meia Chris Herd, do Aston Villa e que estava emprestado ao Wigan. O meia rompeu o ligamento medial do joelho em partida contra o Reading no Madejski Stadium e também não joga mais na temporada. O rigoroso inverno castigou mesmo os gramados de vários estádios da Inglaterra, de todas as divisões, mas tantas lesões trouxeram a discussão à tona. Uma reunião da Football League foi feita com os times integrantes, que optaram contra a re-introdução de gramados artificiais (sintéticos) nos estádios. Muitos estádios da Conference (5ª divisão e abaixo) voltaram a usar grama sintética, devido aos problemas que o inverno traz à grama normal.

Outras lesões, claro, não tiveram nada a ver com o estado dos gramados, e sim com fatalidades, mas que também entram nas estatísticas - como a do zagueiro Tommy Smith, do Huddersfield, que precisou ser levado ao hospital de helicóptero com uma lesão na cabeça, após um choque forte contra o goleiro Silvestri, do Leeds. Depois de uma bateria de exames, nada de mais grave foi constatado. E, com certeza, o mais triste foi o caso do lateral hondurenho Juan Carlos Garcia, do Wigan, que foi diagnosticado com Leucemia. Embora não seja especificamente uma lesão, mostra como a bruxa está solta.


Algumas outras lesões podem ser explicadas pelo excesso de jogos e fadiga muscular ou de outras partes do corpo, como a do centro-avante Chris Martin, que lesionou o tornozelo e ainda faz muita falta ao Rams. Pra piorar, seu substituto Darren Bent também se machucou sozinho, dessa vez o tendão, e fica um mês de molho. Rhys Williams, defensor do Boro, também machucou o tendão, mas com uma extensa lista de lesões, o bom jogador segue sofrendo com mais aparições no departamento médico do que em campo. Milos Veljkovic, zagueiro do Charlton, é outro caso de lesão "por azar": o jogador caiu errado após uma dividida e deslocou totalmente o ombro, ficando fora da temporada.

Outra lesão gravíssima foi a do zagueiro Shane Duffy do Blackburn, que machucou o joelho em um treino de forma tão grave que, segundo o próprio jogador, os médicos temeram pelo restante de sua carreira, e o tempo de recuperação será BEM longo.

Mas ninguém sofreu mais com lesões recentes do que o Bolton. Nada menos que SEIS jogadores se machucaram em dois meses de 2015 - alguns de forma menos grave, como os casos de Andy Lonergan, Tim Ream e David Wheater, com lesões musculares. Mas outras, vociferadas pelo técnico Neil Lennon, podem ter sido causadas pela violência dos adversários. Apenas no último jogo contra o Reading, dois jogadores se machucaram e estão fora da temporada: o defensor Kevin McNaughton quebrou a perna após entrada dura de Jordan Obita.


E o que mais deixou o treinador enfurecido foi a lesão do grande destaque dessa temporada e talvez da última década do clube, o jovem e habilidoso meia Zach Clough, que deslocou o ombro, caindo de forma feia em campo após uma "cama de gato" de Nathaniel Chalobah. Clough, que marcou seis gols em 10 jogos, também está fora da temporada. Lennon chamou a atuação do árbitro Mark Haywood de "terrível" e disse que em muitos momentos o jogo e transformou numa luta de MMA.

No meio de tantas lesões, começam a pipocar em fóruns na internet e no Twitter (ainda que de forma tímida) torcedores que reclamam da demora na recuperação de jogadores de suas lesões. Quem mais questiona são os torcedores do Nottingham Forest que, além de não terem engolido muito bem os DOZE meses de recuperação de Assombalonga, ainda esperam o retorno de Andy Reid e Chris Cohen, machucados desde o início da temporada.

Por enquanto, podemos apenas torcer pra que essa maré ruim na Championship termine.


Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2018. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis