Classificação

Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Artilharia

Postado por : Edmar Assis 01/08/2015


Nome: Queens Park Rangers Football Club
Apelido: The Hoops
Estádio: Loftus Road
Presidente: Tony Fernandes
Técnico: Chris Ramsey
Última Temporada: 20º (Premier League)

ENTRAM
  • Massimo Luongo (Swindon Town, valor não revelado)
  • Jamie Mackie (Nottingham Forest, free)
  • Jay Emmanuel-Thomas (Bristol City, free)
  • Ben Gladwin (Swindon Town, valor não revelado)
  • Joseph N'Guessan (Stevenage FC, free)
  • Axel Prohouly (AS Monaco, free)
  • Sebastian Polter (Mainz 05, £1,61M)
  • Tjaroin Chery (Groningen, £2,25M)
SAEM
  • Adel Taarabt (SL Benfica, free)
  • Joey Barton (dispensado)
  • Karl Henry (dispensado)
  • Rio Ferdinand (fim de carreira)
  • Bobby Zamora (dispensado)
  • Brian Murphy (dispensado)
  • Shaun Wright-Phillips (dispensado)
  • Richard Dunne (dispensado)
  • Jordan Gibbons (Yeovil Town, free)
  • Bruno Andrade (dispensado)
  • Aaron Lennox (dispensado)
  • Jamie Sendles-White (dispensado)
  • Coll Donaldson (Dundee United, free)
  • Michael Harriman (Wycombe, free)
  • Max Ehmer (Gillingham, free)
  • Alex McCarthy (Crystal Palace, £3,43M)
  • Steven Caulker (Southampton, empréstimo)
Queens Park Rangers e Premier League parecem ter um sério problema de relacionamento. Os Rangers estão de volta à Championship, tendo sido rebaixados em último na temporada passada. De novo. A errada aposta no ultrapassado Harry Redknapp, as contratações de medalhões bastante discutíveis e o péssimo futebol apresentado foram as marcas da campanha do QPR na Premier League. De novo. Os Hoops voltam à Championship querendo conquistar o acesso direto. De novo. E são, hoje junto com Derby e Middlesbrough, os favoritos a isso. De novo.

Sim, de novo, de novo e de novo. O QPR parece não aprender com suas experiências na Premier League, e entrou num ciclo vicioso: sobe, gasta muito dinheiro, não vai bem, é rebaixado, dispensa boa parte do time e começa a contratar tudo de novo. Essa última parte do ciclo é a que os Hoops vivem nesse momento - e é ela, aliada ao elenco já existente, que dão ao time a condição de favorito ao acesso. O comandante é Chris Ramsey, efetivado após a demissão de Redknapp, mas que não conta com a confiança dos analistas, da imprensa e muito menos da torcida. E, pra variar, o time foi o que mais movimentou o mercado de transferências.

Vamos começar pelas saídas. A limpa no elenco foi grande, e a maioria dos medalhões que basicamente deu vexame na Premier League foram dispensados, vendidos ou se aposentaram. Na lista das dispensas estão o sempre polêmico e nada importante Joey Barton, além de Karl Henry, Shaun Wright-Phillips, Brian Murphy, Richard Dunne e até mesmo Bobby Zamora, herói do acesso na final dos playoffs contra o Derby em 2014. Adel Taarabt, insatisfeito no clube e sem ser muito utilizado, acertou com o Benfica. O potente zagueiro Steven Caulker foi emprestado ao Southampton, onde vai tentar mostrar o futebol que todos dizem que ele tem, e o goleiro Alex McCarthy foi vendido ao Crystal Palace por £3,5 milhões, que alivia um pouco as nada saudáveis finanças do clube. E o zagueiro Rio Ferdinand pendurou as chuteiras.


As chegadas são interessantes, e finalmente parecem sair do padrão de medalhões (que parece só existir na Premier League pro QPR). Chegam o bom meia australiano Massimo Luongo e o também meia Ben Gladwin, ambos vindo do Swindon. Quem também chega da League One é o já experiente Jay Emmanuel-Thomas, vindo de graça do Bristol City, e que pode ser peça importante. Volta ao clube o atacante Jamie Mackie, vindo do Forest, e chega também o atacante alemão Sebastian Polter vindo do Mainz, que promete muitos gols, ajudando Charlie Austin no ataque. E também chega o volante/meia holandês Tjaroin Chery, vindo do Groningen com muita expectativa.

O trabalho atual e incansável do QPR é segurar Charlie Austin no time. O artilheiro foi o grande destaque dos Hoops na Premier League e, querendo ou não, seria um desperdício voltar a jogar a Championship. O Newcastle tem interesse, mas o QPR não quer sair no prejuízo e só vai vender por um valor bem alto, fato que pode fazer Austin ficar. O clube segue afundado em dívidas, as possíveis sanções do Fair Play Financeiro batem as portas, e fica a impressão de que qualquer série de maus resultados pode fazer com que o técnico Chris Ramsey seja demitido. Com Austin, o QPR é muito favorito ao acesso, em pé de igualdade com o Boro e pouco a frente do Derby. Sem Austin, o time fica atrás de ambos.

Provável time base (4-2-3-1): Green; Traore, Onuoha, Hill, Yun; Chery, Fer, Emmanuel-Thomas, Phillips, Luongo; Austin (Polter)

Previsão Championship Brasil: Briga pelo acesso


Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2018. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis