Classificação

Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Translate

Postado por : Edmar Assis 20/05/2018


SEIS DIAS! No sábado dia 26/05, dividindo atenções com a final da Liga dos Campões, Fulham e Aston Villa farão a final dos playoffs da temporada 2017/2018 da Championship, e decidem qual será o terceiro e último time que integrará a Premier League na temporada 2018/19. O duelo está sendo considerado por muitos (inclusive nós) a final mais pesada da história dos playoffs da Championship, pela força das torcidas, pelo peso da camisa (do Villa, principalmente) e pelo tanto tempo de sucesso que ambos os times viveram na Premier League. O jogão  em Wembley diante de um esperado público acima das 87.000 pessoas será o divisor de águas para determinar quem terá a oportunidade de jogar na elite e quem irá amargurar mais um ano na Championship, sofrendo por ter chegado tão perto e não ficar com a vaga. Começando nossa série de especiais na contagem regressiva para a final, hoje falamos mais sobre tudo que envolve esse grande duelo, os ENORMES ganhos financeiros pro vencedor e uma moral elevadíssima.

O campeonato conta com 46 rodadas, e, como todo o campeonato de pontos corridos, há um campeão (Wolves) e, no caso, o vice-campeão (Cardiff), que conseguem uma vaga direto na Premier League. Além dessas rodadas, a Championship tem seus play-offs, a disputa entre o 3º, 4ª, 5º e 6º colocados na temporada. Então por que os play-offs são o momento mais importante de toda a temporada, sendo que o verdadeiro vencedor já está definido? Simplesmente pela questão financeira e de status no futebol inglês.

Com seu belo bigode, Shad Khan faz um bom trabalho como dono do Fulham. O paquistanês também é dono do Jacksonville Jaguars, da NFL
Juntamente com o desejado e sonhado acesso, a equipe vencedora receberá uma exorbitante quantia de dinheiro, fazendo com que a taça de vencedor dos play-offs não passe de uma mera formalidade. Afinal, o valor aproximado de 130 milhões de libras (R$520 milhões) é para fazer qualquer um focar primeiramente no dinheiro antes de mais nada. Ainda mais quando esse valor pode aumentar pra 230 milhões de libras se o clube em questão permanecer na elite por mais uma temporada, e por causa do parachute payment, que é uma espécie de valores de "pára-quedas" que a Premier League paga durante 3 temporadas aos recém-rebaixados, o valor pode chegar a inacreditáveis 290 MILHÕES DE LIBRAS.  Esse é o futebol moderno que presenciamos.

Com a renovação da Premier League com a Sky Sports em fevereiro de 2015 por um valor acima de 5 bilhões de libras (algo em torno de R$22 bilhões, e que já subiu nos últimos 3 anos), todas as cifras nas premiações envolvendo os clubes ingleses subiram consideravelmente, e na Championship a coisa não é diferente. A empresa Deloitte, uma das mais importantes do mundo dos negócios, descreve que vencer a final dos playoffs equivale ao "maior prêmio financeiro no mundo do futebol". Não é à toa que há um acordo tradicional e duradouro de que o time perdedor da final leva o dinheiro da renda dele e do adversário (que não é pouco).

O chinês Tony Xia assumiu o controle do Aston Villa em Junho de 2016 com grandes planos: em cinco anos, queria o clube fosse mais conhecido no mundo do que Barcelona e Real Madrid
É evidente que a soma total provém do prêmio pela classificação, mas também pelos direitos de transmissão neste mata-mata na reta final. E também é obvio que o time que conseguir colocar a mão nesse valor estará mais do que apto a investir em reforços e dar uma renovada na infraestrutura de suas instalações. E, considerando o cenário atual, contratar nomes de relativo peso deveria estar no topo da lista de prioridades dos mandatários de ambos os clubes. Presenciamos nos últimos anos as dificuldades enfrentadas pelos "novatos" na primeira divisão, mas também foi de extremo orgulho ver que Newcastle, Brighton e Huddersfield, mesmo com um bocado de sofrimento pro último, terem ficado na Premier League por mais uma temporada

Dificilmente se encontrarão nomes de alta qualidade disponíveis no mercado, fazendo com que a questão principal não seja gastar em quantidade. Tanto Fulham quanto Aston Villa contam com uma espinha dorsal interessante no elenco, sendo que os Villans, ao que tudo indica, estariam mais aptos a atuar na elite da Inglaterra, pois vários jogadores experientes jogam na equipe, inclusive nomes como John Terry, Robert Snodgrass, James Chester e Ahmed Elmohamady, que tem boa rodagem na elite. No Fulham, o estilo de jogo é mais agradável e ofensivo, a campanha foi brilhante e, claro, os olhos dos grandes clubes cresceram: Ryan Sessegnon, grande estrela do clube e da Championship, dificilmente seguirá nos Cottagers, que esperam fazer um BOM dinheiro com sua provável venda. Tom Cairney é outro que já atraiu olhares, e o clube conta com jogadores emprestados em sua espinha dorsal que podem fazer muita falta se não forem adquiridos permanentemente (Targett emprestado pelo Southampton, Mitrovic emprestado pelo Newcastle...)


Como já citado anteriormente, este é o momento em que os clubes que sobem de divisão tem a chance de investir tanto quanto equipes mais fracas, assim como a oportunidade de se manter na Premier League. A diretoria que ter os 130 milhões precisará saber onde e como gastar. Se com um planejamento de menos recursos conseguiram chegar tão longe, com um incentivo financeiro como esse é possível sonhar com mais.

A final está chegando! Não deixe de acompanhar toda a preparação, o pré-jogo e o tempo real do dia mais importante da temporada com a gente! Siga-nos pelo Twitter e curta nossa página no Facebook!

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2018. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis