Classificação

Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Translate

Postado por : Edmar Assis 07/05/2018


Dia 05 de Julho de 2017. Nesse dia, esse singelo editor trabalhava fazendo as previsões de todos os 24 times para a temporada 2017-2018 que estava prestes a se iniciar. Deu trabalho, mas foi gratificante e divertido prever o que seria a temporada de cada um, suas expectativas e contratações. Confesso que não estava muito empolgado pra fazer o preview do Cardiff, um time que vinha sendo apenas coadjuvante desde que voltou a Championship. A última parte dos textos era um palpite para o resultado final, e não hesitei em colocar o Cardiff no meio da tabela, e por muito pouco não cravando como candidato ao rebaixamento. Pois bem, menos de 10 meses depois o Cardiff calou a minha boca e a de muitos mais, conquistando um acesso incrível, inesperado e muitíssimo merecido. Qual o segredo dos comandados da lenda Neil Warnock? E o futuro agora na elite do futebol inglês?

Sim, lenda Neil Warnock. O treinador que em 2018 completa 70 anos colocou no currículo o OITAVO ACESSO em sua carreira, por times diferentes, em divisões diferentes, e o quarto acesso para a Premier League com quatro times diferentes (Notts County em 90/91, Sheff Utd em 05/06, QPR em 10/11 e agora o Cardiff). Warnock havia saído um pouco dos holofotes após ser demitido do Crystal Palace no fim de 2014, mas voltou a dar as caras quando assumiu o pequenino Rotherham na Championship em fevereiro de 2016. O time, que era muito fraco, estava condenado ao rebaixamento, mas Warnock os salvou de maneira espetacular nas última rodadas. Com o objetivo cumprido, Warnock deixou o Rotherham (que foi rebaixado na temporada seguinte).


Neil Warnock chegou ao Cardiff em Outubro de 2016, assumindo um clube afundado na crise, nas últimas posições na tabela após um péssimo trabalho de Paul Trollope. Logo na entrevista de apresentação, Warnock disse que chegava em Gales para conquistar o oitavo acesso de sua carreira, e as palavras causaram surpresa nos fãs e até um leve desdém dos jornalistas, que não acreditaram na promessa. Pois é... quando assumiu, o Cardiff estava na penúltima posição, e ao final da temporada os torcedores não acreditaram quando viram seu time terminar em 12º lugar. Muito merecidamente, Warnock foi convidado pelo dono Vincent Tan e continuar no clube.

Aqui abro um parênteses pra falar do excêntrico dono do Cardiff, que ficou famoso no mundo todo quando assumiu o controle do clube por causa de suas maluquices, querendo mudar o nome, escudo e cores do clube. Vocês perceberam que quase não se falou dele nessa temporada? Esse é um dos motivos do sucesso. Trabalhando nos bastidores (como deve ser) e sem chamar a atenção, mas dando todo o apoio para o projeto que foi montado. 


Contando no elenco com jogadores rodados como Sol Bamba, Aron Gunnarson e Junior Hoilett, a campanha do Cardiff começou, com o time montado num 4-3-3 que muitas vezes virada um 4-5-1. Pra delírio da torcida, foram 5 vitórias nos primeiros 5 jogos, incluindo vitórias por 3-0 contra o Aston Villa, e uma vitoria espetacular contra o agora campeão Wolves por 1-2 em pleno Molineux. A primeira derrota veio só na 7ª rodada pro Preston, e logo se viu que o Cardiff não estava pra brincadeira. Claro que muita gente achou que a boa fase era passageira, mas o time continuou vencendo, e somando pontos. Mas afinal, qual era o segredo?

Considerando que Wolves, Aston Villa e Middlesbrough gastaram pesadamente em uma tentativa de retornar à Premier League, Warnock trabalhou com recursos relativamente limitados. Isso inclui salários e taxas de transferência, com o Sheffield Wednesday - que terminou no 15º lugar na tabela - estando entre aqueles com uma conta de salários maior do que Cardiff. Warnock disse muitas vezes que o símbolo da mudança foram as duas primeiras contratações de seu reinado. Dentro de uma semana de sua nomeação em outubro de 2016, Warnock entrou no mercado de transferências gratuitas para contratar o ala Junior Hoilett e o zagueiro Sol Bamba. Hoilett estava sem clube desde a sua saída do Queens Park Rangers naquele verão, enquanto Bamba inesperadamente se tornou disponível em setembro depois de deixar o Leeds por consentimento mútuo. O impacto foi imediato na campanha do acesso, e ambos foram fundamentais para a grande temporada do time, com Hoilett como o segundo maior goleador do clube com 11 gols em todas as competições e Bamba nomeado para o time da temporada da PFA.


O melhor negócio de Warnock no verão passado envolveu transferências gratuitas. Os dois primeiros vieram da League One, com o goleiro Neil Etheridge e o ala Nathaniel Mendez-Laing se juntando ao elenco depois que seus contratos expiraram em Walsall e Rochdale, respectivamente. O filipino Etheridge tem sido uma presença segura para a defesa do Cardiff, que sofreu apenas 39 gols na liga nesta temporada, enquanto Mendez-Laing chamou a atenção com sete gols e várias boas exibições. Indiscutivelmente, no entanto, a contratação da temporada do Cardiff é Callum Paterson. O jovem de 23 anos veio do Hearts originalmente como lateral-direito mas, depois de ter sido transferido para o meio-campo, o escocês revelou-se uma revelação com 10 gols em 31 jogos. A implantação variada do jogo de Paterson por Warnock é indicativa de sua flexibilidade tática e capacidade de adaptação. O veterano treinador é renomado - e muitas vezes difamado - por seu jogo de ligação direta e, embora suas equipes tenham uma vantagem física grande em relação aos demais (sempre foi assim), pode haver sutileza e sofisticação nas táticas de Warnock.


Porém, como sempre na Championship nada nunca é fácil. O Cardiff viu o Fulham começar a ganhar de todo mundo e se aproximar na tabela. Se aproximar muito perigosamente, e o jogo que deixou a torcida de cabelos em pé, claro, foi aquele inesquecível e maluco jogo contra o Wolves, que valia a liderança naquele momento. O Cardiff saiu atrás com um golaço de Rúben neves de volta, e quando parecia que estava tudo perdido o time ganhou um pênalti nos acréscimos, mas Gary Madine perdeu. No lance seguinte, outro pênalti que Hoilett também perdeu. Warnock saiu sem cumprimentar o técnico rival e xingando muito, e ali parecida que o Cardiff ia perder o controle, vendo o Fulham chegar tão perto.

Mas não. Mostrando uma presença de espírito e uma força mental incrível, o Cardiff continuou na dele, vencendo quando precisava, e o acesso foi confirmado ontem, obviamente de forma suada: o time só empatou em 0-0 com o Reading mas contou com a inesperada derrota do Fulham em Birmingham para conquistar o acesso para a Premier League. Muita festa em Gales, que pode ficar ainda maior do lado azul se o rival Swansea for rebaixado. Mas e agora? E na Premier League? Em uma entrevista logo após a confirmação do acesso, Neil Warnock disse que o clube não fará gastos exorbitantes, mas que precisa de "cinco ou seis contratações".


Mas a pergunta volta, e está sempre presente: Neil Warnock é o homem certo para o trabalho na elite? Indiscutivelmente uma lenda nas divisões de acesso, Warnock nunca foi bem na Premier League, e a prova disso foi o trabalho no QPR após o acesso. Com contratações muito contestáveis, de muitos medalhões caros e em declínio na carreira, os Hoops fizeram uma campanha terrível com Warnock no comando, e quando ele sai já era tarde. A última tentativa também foi um fracasso, no Crystal Palace, por motivos parecidos, dando a impressão de que Warnock não consegue se adaptar ao estilo de jogo disputado no melhor campeonato do mundo.

Sinceramente, ficarei chocado se o Cardiff não for com Warnock como seu homem de confiança. O treinador terá mais uma vez a chance de finalmente fazer um bom trabalho na elite, e torçamos pra que dê muito certo. 

Boa sorte, Bluebirds!






Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2018. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis