Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Postado por : Edmar Assis 21/02/2012


Há 7 meses atrás, o West Ham tomava 3 gols do Wigan e era rebaixado para a Championship. Hoje, depois de uma reformulação do elenco e com ambições mais modestas, o West Ham protagonizou uma das melhores partidas da história da Championship. Com um show de garra e futebol bem jogado, os Hammers golearam o Blackpool por 1-4, com 10 jogadores e tendo ficado 35 minutos com um meio-campista no gol! Agora o time retoma a liderança e parte com tudo pra buscar o titulo e a volta à Premier League.

O jogo começou bastante estudado, com as equipes tocando muito a bola. O West Ham, pela primeira vez, teve Vaz Te e Maynard juntos no comando de ataque. Somente aos 27' o West Ham conseguiu vantagem no placar. Em cruzamento de Collison, Tomkins apareceu livre e tocou na saída de Gilks, 1-0. Pouco depois, os Hammers continuaram em cima do Blackpool e aumentaram o placar. Em mais uma jogada de Collison, Maynard recebeu livre na pequena área e fez seu primeiro gol com a camisa do West Ham, 2-0. Ian Holloway, técnico do Blackpool, parecia não acreditar no que via e nem esperou o intervalo para mexer no time. Kevin Phillips entrou no lugar de Basham aos 34'. E deu certo. Aos 45', Baptiste lançou forte, Phillips cabeceou bem e diminuiu o prejuízo, dando novo ânimo ao Blackpool, 1-2.

Na volta do intervalo, Ian Holloway mexeu de novo, lançando Roman Bednar no time. Logo aos 52' começou o sufoco pro West Ham. Bednar foi lançado, o goleiro Green saiu todo estabanado do gol e deu um carrinho no atacante fora da área, recebendo o cartão vermelho direto. Foi o 3º cartão vermelho seguido do West Ham nos últimos 3 jogos, mostrando a falta de equilíbrio emocional, e causando problemas, pois Green ficará fora dos próximos três jogos. Mas o West Ham não havia feito nenhuma alteração ainda, então não havia problema não é? Bem...

O técnico Sam Allardyce olhou pro banco e se lembrou que, contrariando uma das regras basicas do futebol, não havia deixado nenhum goleiro reserva no banco! Big Sam então lançou o meia Henry Lansbury no lugar de Faubert e o mandou ir para o gol. E o pequenino meia foi, nervoso, tentar descascar o abacaxi em suas mãos. Mas o Blackpool depois disso mostrou um desinteresse inacreditável, não dando sequer um chute ao gol de Lansbury para testar o meia improvisado no gol, nenhum! Diante disso, o West Ham viu que, mesmo com um a menos outra vez, poderia se aproveitar (outra vez) de seu poderio ofensivo e começou a atacar, porém deixando sempre uma barreira de jogadores protegendo o goleiro Lansbury. Mas quem achava que o West Ham iria somente segurar o resultado se enganou. E muito...

Aos 73', Gary O'Neill avançou sem marcação e bateu firme da entrada da pequena área para fazer 1-3, deixando Ian Holloway louco de raiva e causando um delírio na pequena torcida do West Ham, que gritava forte "Englands Number 1" para Henri Lansbury. A única defesa do meia-goleiro em 35 minutos foi segurar um cruzamento mal feito de Baptiste. O West Ham segurou os ataques do Blackpool com uma garra e aplicação fenomenais, provando que é mesmo o melhor time da temporada. Aos 90', Ricardo Vaz Te, de novo, avançou sem marcação e bateu na saída de Gilks para fazer 1-4, para a festa solitária do goleiro Lansbury, que ainda fez uma boa defesa no canto em chute de Phillips, levando à loucura a torcida dos Hammers que estavam atrás do gol. No fim, vitória brilhante, heróica e épica do West Ham, que retoma a liderança com 60 pontos, um a mais que o Southampton e ainda com um jogo a menos. Já o Blackpool, com a vergonhosa derrota, deixa a zona de rebaixamento, e fica em 7º.

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2019. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis