Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Postado por : Edmar Assis 09/06/2012

O herói de cabelos brancos (Foto: Getty Images/BBC)


Data - 24 de Maio de 2008
Local - Wembley Stadium, em Londres
Espectadores - 86.703
Condições do tempo - Sol

A temporada 2007/2008 chegava ao fim na Championship, numa temporada disputadíssima até o fim. West Bromwich e Stoke City haviam conquistado o acesso com uma rodada de antecedência, enquanto Hull City, Bristol City, Crystal Palace e Watford brigariam pela última vaga na Premier League nos play-offs.

O Hull tentava o primeiro acesso para a Premier League em toda sua história, e não tomou conhecimento do Watford nas semi-finais. Com uma vitória de 2-0 fora de casa e com um sonoro 4-1 em casa, os Tigers se classificaram para a final em Wembley, pela primeira vez visitando o lendário estádio de Londres. O adversário seria o surpreendente time do Bristol, que terminou em 4º lugar na temporada regular e também não teve grandes dificuldades para bater o Crystal Palace por 2-1 em casa em 2-1 fora.

O clima nas cidades era de grande expectativa para a final, principalmente em Hull. A chance de disputar a Premier League pela primeira vez colocou a cidade numa enorme festa e emoção. Em Bristol, era a grande chance de recolocar o time na elite depois da vários anos de ausência. A confiança dos torcedores do Hull era muito grande, pois o time vinha jogando um bom futebol, com uma mescla de jogadores jovens, como Campbell e Garcia, e com jogadores experientes, como Barmby e Windass, de 39 anos, sob a batuta do jovem técnico Phil Brown, que em pouco tempo conquistou a torcida. Já o Bristol não tinha um time com grandes nomes, mas Louis Carey e Adebola foram os grandes nomes do time na temporada, além do goleiro brasileiro Adriano Basso.

No dia do jogo, Londres ficou pintada de Vermelho, amarelo e Preto. Com a divisão igual dos ingressos entre as torcidas, a festa foi muito grande, com respeito e sem confusões, mas com muita festa e esperança. Um mar de torcedores de Amarelo e Preto lotou Wembley, transformando sua parte em um grande tigre. Já os fãs de Bristol não deixaram por menos, lotando sua parte com vermelho e branco. Quando o árbitro Alan Wiley apitou o início de jogo, a festa deu lugar ao nervosismo de uma final.

O jogo começou bem disputado e estudado. Na primeira chance, Carle recebeu no meio e bateu por cima da meta do goleiro do Hull, Myhill. Pouco depois, o Hull respondeu com Ricketts, que achou Richard Garcia livre na área, mas a cabeçada saiu pelo lado do goleiro brasileiro Adriano Basso. Mas foi aos 38 minutos que a torcida do Hull começou sua festa, e da melhor maneira possível. Em contra-ataque, Fraizer Campbell, então jovem revelação, avançou pelo meio, entrou na área e, com uma jogadaça, limpou Carey e achou Windass completamente livre na área. O veterano centro-avante, de 39 anos, recebeu e nem pensou duas vezes. Sem deixar a bola cair, Windass acertou um lindo chute, de voleio, no ângulo de Basso, um verdadeiro GOLAÇO! 1-0 para o Hull e delírio da torcida.

O Bristol City sofreu outro revés antes do intervalo, quando Bradley Orr se machucou feio em um choque acidental de cabeças com Nick Barmby, e precisou receber oxigênio em campo antes da ambulância entrar em campo. Isso significou que nove minutos de acréscimos no primeiro período foram necessários, com Orr sendo levado ao hospital com suspeita de uma fratura no crânio. No segudno tempo, o Bristol partiu pra pressão em busca do empate, mas pecou demais nas finalizações. O Hull, comandado por Phil Brown, fez suas mudanças habituais com o passar do tempo, com Barmby substituído por Craig Fagan, após 66 minutos e Caleb Folan substituindo Windass quatro minutos depois. A maior chance do Bristol foi aos 39', quando Indoe chutou cruzado e Turner voou na bola pra salvar, fazendo muitos torcedores do Hull quase infartarem.

Alan Wiley aprontou 5 minutos de acréscimos, pra desespero de Phil Brown, mas o Bristol se entregou ao cansaço e nada mais fez. Ao apito final, delírio incontrolável da torcida do Hull nas arquibancadas, e dos jogadores no campo. Numa cena emocionante, Windass, herói da final, entrou em campo e, chorando, se ajoelhou no gramado enquanto era saudado pelos companheiros. Pela primeira vez em 104 anos de existência, o Hull City era um time de Premier League!


Phil Brown, técnico do Hull em 2008: "Aquela foi uma tarde fantástica, a mais emocionante de toda a minha vida. Nós tínhamos um grande time, um grande grupo de garotos com vontade de vencer. Ver Wembley lotado daquele jeito, com a torcida gritando nosso nome, é a maior emoção que m homem pode sentir."


Dean Windass, autor do gol do título: "A bola chegou em mim e não pensei em dominar ou driblar, fiz o que mais sabia, chutar. Fui abençoado com o gol e consegui levar o Hull à Premier League. Em 20 anos de carreira, a maior emoção da minha vida se reservou para o último momento. Chorei de emoção. Nada mais."



Ficha Técnica

Bristol City: Basso, Orr (Johnson 45), Carey, Fontaine, McAllister, Noble (Sproule 63), Elliott, Carle (Byfield 76), McIndoe, Adebola, Trundle.
Subs não usados: Weale, Vasko.
Amarelos: Sproule.

Hull City: Myhill, Ricketts, Brown, Turner, Dawson, Garcia, Ashbee, Hughes, Barmby (Fagan 67), Campbell (Marney 90), Windass (Folan 71).
Subs não usados: Duke, Doyle.
Amarelos: Campbell

Gol do jogo: Windass, aos 38'.
Árbitro: Alan Wiley (Staffordshire)

Homem do jogo: Dean Windass





Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2019. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis