Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Artilharia

Postado por : Edmar Assis 07/08/2012


Nome: Cardiff City Football Club
Apelido: The Red Dragons
Presidente: Vincent Tan
Técnico: Malky Mackay
Última temporada: 6º (Championship)

Contratações: Joe Lewis (Peterborough, free transfer); Jordon Mutch (Birmingham, valor não revelado); Etien Velikonja (Maribor, valor não revelado); Heidar Helguson (Queens Park Rangers, valor não revelado)

Vendas/Dispensas: Lee Naylor, Paul Quinn, Liam Lawrence (fim de contrato); Kenny Miller (Vancouver Whitecaps, valor não revelado); Tom Heaton (Bristol City, valor não revelado)

O sonho da Premier League do Cardiff parou nos play-offs. De novo. Pela terceira temporada seguida, o time galês não conseguiu espantar os fantasmas da decisão e, em dois jogos muito ruins, foi detonado pelo West Ham com um 2-0 em casa e um sonoro 3-0 em Londres. A temporada só não foi um desastre total porque o time foi à uma final. Depois de um duelo "caseiro" na semi-final da Copa da Liga Inglesa, em que bateram o Crystal Palace na semi-final, o Cardiff foi até Wembley enfrentar o Liverpool.

Com uma raça e vontade invejáveis, o time saiu na frente, tomou a virada na prorrogação e conseguiu empatar nos últimos minutos. Mas, nos pênaltis, Anthony Gerrard bateu pra fora e desperdiçou a chance de um título que não vinha a mais de 80 anos. A temporada passou, mas o Cardiff não saiu da mídia. Uma polêmica de proporções mundiais atingiu os Red Dragons. Aí você se pergunta, Red Dragons? O que aconteceu com os Bluebirds? Voltemos para entender tamanha confusão...



O Cardiff sempre teve um pássaro azul como mascote e as cores azuis sempre predominaram. Porém, o clube foi comprado por investidores da Malásia, que, no fim da última temporada, fizeram uma proposta para mudar as cores do clube, passando de azul para vermelho e mudando também o mascote, de um pássaro azul para um Dragão Vermelho. Mas, devido a gigantescas manifestações da torcida contra a mudança do símbolo, a direção pareceu esquecer do assunto e a paz reinou em Gales. Só pareceu.

Sem pedir de novo a opinião dos fãs, os donos fizeram o que era seu desejo e criaram um novo símbolo para o Cardiff, que agora é um clube com cor predominante em vermelho que, segundo os donos, daria um impulso a mais para o clube na Ásia, onde o Dragão Vermelho é um símbolo de poder. Ficou claro que a medida foi visando os ganhos financeiros, e por isso a torcida não ficou nada satisfeita com a mudança. Mas, a mudança foi feita, e o time que todos conheciam agra é outro.

E o vermelho Cardiff City vai pra esta temporada com o mesmo objetivo de sempre: O acesso. E, de preferência, sem ter que passar pelos play-offs outra vez. Este sonho só aumentou ao ver o sucesso do rival galês Swansea na Premier League. Malky Mackay faz um bom trabalho como manager, e disse que a chave para o acesso é ter um bom começo de temporada. No elenco, a perda mais sentida será a do atacante Kenny Miller, que foi se aventurar na Major League Soccer. Tom Heaton perdeu espaço no gol e foi para Bristol.

Já as contratações são pontuais e podem dar uma grande força ao time vermelho. O bom goleiro Joe Lewis chega para fazer sombra a Marshall. O jovem meia Jordon Mutch chega depois de uma temporada boa em Birmingham. O esloveno Etien Velikonja chega como incógnita, e Helguson chega depois de uma temporada no QPR onde fez o que se esperava dele: gols. São esses gols que podem levar o Cardiff à uma boa colocação e, finalmente, ao tão desejado acesso.

Time-base da temporada: Marshall; McNaughton, Hudson, Turner, Taylor; Mutch, Gunnarson, Cowie, Whittingham; Mason e Helguson.

*Créditos de parte do texto para Jober Gooner, dono da comunidade Premier League no Orkut   

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2020. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis