Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Artilharia

Postado por : Rafael Werneck 28/02/2013


Middlesbrough e Chelsea foram dois dos clubes fundadores da Premier League, em 1992. Hoje, porém, os clubes vivem realidades diferentes. O Middlesbrough vem em decadência desde a temporada 2005-2006, quando perdeu a final da Copa Uefa para o Sevilla e, desde a temporada 2009-2010, frequenta a Championship. Não por coincidência, nesse meio tempo, a equipe bateu seu recorde de transferência mais cara ao pagar 13.6 milhões de libras pelo brasileiro Afonso Alves. Já o Chelsea vive, desde 2003, sua década mais gloriosa quando foi adquirido pelo bilionário russo Roman Abramovich. Seus milhões de libras em investimentos culminaram com a campanha vitoriosa que tornou o Chelsea o atual campeão europeu.

O jogo desta quarta-feira, válido pela F.A. Cup, foi frio como a noite de fevereiro no nordeste da Inglaterra e demonstrou exatamente a diferença técnica que existe entre os clubes, mesmo que a fase não seja boa para ambos. Mais uma vez, o Riverside Stadium não estava lotado e aqueles que não estavam entre os 27.856 torcedores (segundo maior público do ano em Teeside) não se arrependerão de terem escolhido um local mais quente para assistir este confronto. A equipe de Tony Mowbray foi a campo com sua formação principal. Já os londrinos se apresentaram com um time misto.

O jogo:

O Chelsea começou com mais posse de bola, trocando bons passes e utilizando velocidade pelos flancos para agredir o Boro, principalmente pelo lado esquerdo, com as descidas de Oscar e Moses. Por sorte do Middlesbrough, o atacante escolhido por Rafa Benítez para comandar o ataque dos blues foi o ineficiente Torres, um dos mais claros exemplos de jogador que desaprendeu a jogar bola. O Chelsea controlava o jogo, mas não assustava.

A primeira chance dos Smoogies foi aos 25 minutos de jogo, quando o belga Haroun foi à linha de fundo, atrasou para Nick Bailey, que fez ótimo cruzamento para cabeçada de McDonald que levou certo perigo ao gol de Cech. Apesar das poucas oportunidades criadas, a equipe de North Yorkshire estava bem postada em campo, fazendo marcação pressão e obrigando o Chelsea a constantes recuos de bola de bola e chutões. Apenas as escapadas pela esquerda surtiam certo efeito.



Eram decorridos 36 minutos do primeiro tempo e o primeiro problema aparecia para Mowbray, quando o camaronês Andre Bikey teve de ser substituído após reclamar de lesão na parte posterior da coxa. Apenas 4 minutos mais tarde o Boro deu seu primeiro chute a gol. O sumido Mustapha Carayol arrematou rasteiro próximo da grande área e Terry afastou o rebote de Petr Cech.

O segundo tempo começou calmo, como terminou o primeiro, mas a postura do time do Norte era um tanto quanto defensiva. Aos 51 minutos, porém, Ramires avança pela entrada da área e tenta um chute com efeito, a bola desvia em Torres e entra. Este gol obriga o Middlesbrough a se abrir e oferece o contra ataque ao Chelsea, que conta com o veloz Moses. Pensando nesta possibilidade, Benítez saca o veterano Yossi Benayoun para entrada de Eden Hazard.



O chute de longe de Friend aos 70 minutos é um sintoma da falta de criatividade que atingiu o Boro. O Chelsea entrega a bola ao Middlesbrough, se posta defensivamente e fica esperando o contra ataque, com Moses e Hazard abertos. Aos 73 minutos Oscar tabela com Hazard dentro da área adversária e o belga passa para Moses escorar para o gol vazio. O adeus à F.A. Cup está próxima da equipe de North Yorkshire e Teeside está silencioso.

Somente os mais de 1.500 londrinos, que viajaram 400 km para acompanhar a equipe, cantam “Champions of Eurpe, we know what we are” no que replicam os nortistas: “Champions of Europe, you’re not anymore”. Os torcedores de azul finalizam com “Champions of Europe, we’ll sing it ‘til May”. Interessante provocação entre as torcidas.

O Middlesbrough parece atordoado pela linda tabela criada pelos jovens de Londres e não cria chances de gol, apenas troca passes sem conseguir penetrar mais fundo na defesa do Chelsea. Benítez saca Moses e David Luiz vem para o jogo. A função do brasileiro era dar o primeiro combate no meio campo. Modificação para segurar o placar.

Aos 83 minutos, Hines sobe mais que David Luiz e cabeceia uns 4 metros longe do gol do Chelsea. Um minuto mais tarde, em mais uma subida dos Smoogies, Haroun faz bela enfiada de bico para Miller que chuta de esquerda, também para fora. Talvez este gol tornasse o fim de jogo um pouco mais emocionante. O jogo acaba em 2x0 para o Chelsea.



Resumo:

A partida não foi das mais emocionantes e a diferença técnica entre as equipes foi flagrante. O Middlesbrough conseguiu enfrentar o Chelsea por 51 minutos, até o gol de Ramires, desviado em Torres. Este gol desestabilizou o time de Mowbray, que acabou levando o segundo gol aos 73 minutos.

O próximo jogo do Middlesbrough também não será fácil, pois recebem o líder da Championship, Cardiff City no sábado. A recente forma dos Boro é péssima, tendo vencido apenas um jogo pela Championship em 2013. “Todos sabem que tivemos uma péssima sequência desde o Natal, quando estávamos apenas 2 pontos atrás do topo e estávamos confiantes e seguros de que chegaríamos ao top two”, disse Mowbray, “Sabemos que não vai ser fácil – eles (Cardiff) são uma boa equipe estão confiantes”, completou. Mowbray também compreende a frustração dos torcedores com a queda na tabela, mas insiste que esta é a hora de estarem juntos, mostrando sua força. Para o jogo de sábado, três desfalques são prováveis: Andre Bikey, com sua lesão na parte posterior da coxa, George Friend reclama de dores na panturrilha e Grant Leadbtter tem um corte na canela.

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2020. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis