Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Artilharia

Postado por : Rafael Werneck 11/03/2013


A F.A. Cup tem grande apelo aos ingleses. Uma boa campanha na competição de futebol mais antiga do mundo pode até transformar um ano mediano no campeonato nacional em uma boa temporada. E nessa expectativa, o Millwall recebeu o Blackburn, neste domingo úmido e com muito vento em South Bermondsey, Londres, pelas quartas de final da F.A. Cup. Os times, que ocupam a décima sétima e décima sexta posições na Championship, adentraram o campo de jogo no The Den buscando um lugar na semifinal e, consequentemente, uma ida à Wembley.

O jogo:

A equipe da casa começou o jogo com seis alterações em relação à equipe que enfrentou o Wolves no meio da semana, num 4-3-3, com Keough e N’Guessan pelas pontas, enquanto o Blackburn jogou no seu tradicional 4-4-2, com duas linhas bastante compactas. A partida se iniciou morna, com as equipes extremamente cautelosas e com dificuldades para trocar passes no meio de campo. Restaram chutões para frente de ambas equipes. Os jogadores pareciam, também, muito nervosos, errando passes simples e cruzamentos por excesso de força, como foi o caso de N’Guessan aos 8 minutos.

O jogo foi ficando entediante, pois nenhuma das equipes conseguia colocar a bola no chão, acertar passes e trabalhar uma jogada. Os atacantes dos dois lados estavam isolados e sem condições de contribuir muito com suas equipes. Aos 15 minutos, a torcida que lotava o The Den começou a fazer seu típico de canto: “Miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiill” cantavam os mais de 20 mil espectadores.

Uma demonstração clara do nervosismo das equipes foi o lance que ocorreu aos 26 minutos. O estreante Leon Best foi lançado e sofreu falta na entrada da área. David Bentley cobrou para os Rovers na barreira e na sequência do lance, mão na bola de Olsson. Houve discussão no meio da área. Por reclamação, o goleiro Forde, do Millwall, e Olsson, do Blackburn, receberam amarelo. Muita tensão e pouco futebol até o momento. Parece que as equipes trouxeram a indiferença de suas recentes partidas na Championship para este jogo da F.A. Cup.



Aos 30 minutos o Millwall começou a controlar a partida. Em cobrança de escanteio, os Lions conseguem marcar com Hulse, mas o gol é anulado por falta de N’Guessan em Jake Kean. Dois minutos mais tarde, o vigoroso meio-campista do Millwall Alan Dunne chuta rasteiro próximo do gol de Kean. Aos 40, Jack Smith centra a bola na área e Andy Keough cabeceia à queima roupa, mas a bola acerta a trave esquerda.

O segundo tempo começou com Jordan Rhodes recebendo na área, girando e chutando por cima. Não satisfeito com a fraca atuação da estrela dos Riversiders, Rhodes agora tem seu terceiro companheiro de ataque. Bradley Orr, que havia substituído o titular Henley, se contunde e é substituído por David Dunn. Os chutões e as bolas levantadas na área continuam. Parece o futebol inglês de outrora, com pouquíssima técnica. Além disso, a partida apresenta elevado número de faltas para os padrões britânicos.

Aos 57 minutos, o defensor Danny Shittu chuta forte a uma distância de mais de 35 metros do gol e obriga Kean a se esticar para colocar para escanteio, numa bela defesa. Apenas 2 minutos mais tarde, Smith lança Keogh na direita, já dentro da área, que centra de primeira para Hulse, sozinho, na frente do gol. Incrivelmente, Hulse, dentro da pequena área, consegue a proeza de escorar por cima do gol, desperdiçando a mais clara oportunidade da partida até o momento.

Aos 70 minutos, começa a nevar de leve no The Den. Não é uma contribuição do clima a um jogo já bastante frio. O time da casa, que parecia melhor, esfriou um pouco no jogo e o Blackburn continuou em sua falha estratégia de cruzamentos na área vindos de Bentley e Pederson, que sempre eram cortados pela defesa londrina. Por conta disso, Jordan Rhodes começa a vir mais atrás buscar jogo.



Tanto que aos 76 minutos, os Rovers ganham escanteio após chute desviado de Rhodes. Pedersen cruza e Joshua King acerta a trave. O Millwall não se assusta, se recupera e começa a pressionar novamente, controlando a bola no campo da equipe de Lancashire. A torcida, mais animada, canta sua mais famosa canção “No one likes us, no one likes us/ No one likes us, we don’t care/ We’re Millwall, super Millwall/ We’re Millwall, from The Den”.

Aos 83 minutos, mais uma vez o grandalhão Shittu solta uma pancada de fora da área que Kean espalma, mas Hulse não consegue aproveitar o rebote. Aos 89, mais uma confusão se cria quando Keogh cai na área e coloca a mão na bola. A torcida pede pênalti, Hanley reclama que Keogh se jogou, se empurram, e ambos recebem amarelo pela confusão criada. O jogo termina sem o Blackburn ter dado um único chute no gol pela primeira vez nessa temporada.

Resumo:

O primeiro empate entre Millwall e Blackburn significa que as equipes se enfrentam na quarta-feira, em Ewood Park, na partida replay. Foi criada muita expectativa para esta partida, mas ela não foi correspondida. O confronto melhorou consideravelmente no segundo tempo, mas nenhum dos times teve capacidade e tranquilidade para marcar, reflexo claro da recente forma das equipes na Championship.

Aquele que passar para a semifinal enfrentará o Wigan, já em Wembley. Porém, precisarão mostrar muito mais futebol se desejam chegar à final. Os gigantes, City, United e Chelsea estão emparelhados na outra chave. Por isso, há grande possibilidade de vermos uma equipe da Championship na final do torneio mais antigo da história, em um dos estádios mais tradicionais do mundo.


Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2019. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis