Por Edmar Assis e Danilo Moraes. Tecnologia do Blogger.

Classificação

Artilharia

Postado por : Edmar Assis 18/05/2014


A temporada regular acabou, e com campanhas absolutamente brilhantes, Leicester e Burnley garantiram o retorno à Premier League. Os times fizeram muita festa, comemoraram bastante, os jogadores entraram de férias... mas agora, o momento é de planejar. Planejar e muito, para garantir que a estadia na Premier Legaue seja satisfatória. Como em todo fim de temporada, fazemos um especial com o que pode vir a ser o futuro dos times que subiram, para seguirem os exemplos de Crystal Palace e Hull, e para não seguir o exemplo do Cardiff. Hoje é dia de falar do Burnley.

Os Clarets retornam à elite apenas 4 anos após sua última participação, onde acabou sofrendo com a falta de recursos e foi rebaixado. Dessa vez, o clube vai mais bem estruturado, porém ainda sem grande poderio financeiro, fato que pode complicar a vida dos Clarets no momento em que precisarem fazer as necessárias contratações. O trunfo do time é a extrema tranquilidade extra-campo, levando em conta que sua diretoria não interfere diretamente no trabalho do competente Sean Dyche, que tem carta branca para montar o elenco.


A espinha dorsal, embora não tão forte quanto a do Leicester, é interessante. No gol, Tom Heaton fez excelente temporada, e agora vai poder demonstrar seu futebol na Premier League, já que no Cardiff não teve essa oportunidade. A zaga foi a melhor da temporada, com o excelente zagueiro Jason Shackell liderando, com a presença do regular e veterano Michael Duff. Porém, a contratação de um ou dois zagueiros de mais experiência e de mais peso é extremamente necessária. As laterais são boas: o jovem Kieran Trippier foi o melhor lateral direito da temporada e tem tudo pra brilhar muito nos gramados qualificados da Premier League. Na esquerda, Ben Mee também fez boa temporada, mas o Burnley precisa contratar mais um lateral para acirrar a disputa por posição.


O meio campo montado totalmente sem custos por Sean Dyche é bem interessante, mas precisa de ajustes. Dean Marney fez grande temporada ao lado de Michael Kightly, esse último emprestado pelo Stoke City, e que ainda não sabe se permanece no time para a próxima temporada. Mais a frente, Scott Arfield chegou de graça vindo do Huddersfield e foi um dos pilares do time na temporada, com várias assistências. O já experiente David Jones também foi bem, mas o clube precisa reforçar bastante o meio campo, com dois ou três BONS nomes, visto que um meio campo forte pode ser o fator decisivo pro sucesso ou fracasso.


Já no ataque, este não tem muito o que falar. Danny Ings, eleito merecidamente o melhor jogador da temporada, fez dupla infernal com o bom Sam Vokes, em um momento da temporada (antes da lesão de Vokes) sendo a 3ª melhor dupla de ataque de toda a Europa. Aliando a já boa experiência de Vokes com a juventude, habilidade e faro de gols de Ings, o Burnley tem o que precisa no ataque, Ashley Barnes, única contratação feita pelo clube em que dinheiro saiu do ciaxa (£500,000), é um competente reserva. Porém, com a lesão grave de Sam Vokes, que pode nem iniciar a temporada jogando, o time precisa de um nome forte no ataque, e especulaççoes dão conta de que o time pode buscar o ótimo Troy Deeney em Watford.

Mas o grande trunfo e qualidade do Burnley é seu técnico. O simpático Sean Dyche deixou de ser apenas um cara legal com sua barba ruiva pra se tornar um dos mais competentes e surpreendentes treinadores das divisões inferiores. O "Ginger Mourinho" como é apelidado pelos torcedores chegou ao Burnley após a conturbada saída de Eddie Howe, vindo do Watford, e em pouco tempo conseguiu montar uma excleente estrutura, conquistou o apoio dos torcedores, da cidade e dos jogadores. Falaremos mais especificamente do técnico do Burnley em um próximo especial.


A maior façanha de Dyche foi montar um time quase do zero, sem praticamente NENHUM gasto, vide que jogadores como Trippier e Ings vieram da base, e outros como Heaton, Arfield, Kightly e Vokes chegaram sem custos. Aliados aos líderes presentes, como Shackell, Duff e Marney, Dyche fez com o que o time fosse extremamente difícil de ser batido, principalmente em casa. Dyche tem tudo para trilhar os passos de treinadores hoje brilhantes que saíram de clubes menores, como Brendan Rodgers e Roberto Martinez, e vai precisar trabalhar muito para manter o ótimo time do Burnley na elite, como todos esperamos.

Se quiser contar com  a superstição, nos últimos anos todos os times que subiram em 2º lugar na Championship (West Brom, Norwich, Southampton e Hull City) se mantiveram extremamente bem na Premier League. 

Boa sorte, Burnley!

Home ---------------------- Política de Privacidade ---------------------------------------------------------------------------------------------------- Championship Brasil 2019. Todos os direitos reservados ------- Designed by Edmar Assis